Linhas de pesquisa

O Instituto tem suas linhas de pesquisa identificadas com duas grandes áreas de atuação.

Impacto da indústria mineral na água, sólo e biodiversidade

A primeira consiste na avaliação do impacto das atividades da indústria mineral sobre a qualidade de água, de solo e conservação da biodiversidade. Neste contexto, o Instituto prioriza o desenvolvimento de tecnologias avançadas para estudos e avaliação da ecotoxicidade; o emprego de metodologias inovadoras que utilizem espécies neotropicais e, ainda, a identificação e caracterização de padrões de qualidade de água a serem utilizados como referências nas regiões de interesse. O objetivo mais amplo é contribuir para a minimização dos impactos das atividades do setor, para a seleção de técnicas de remediação e, particularmente, para a conservação da biodiversidade aquática.

Valor e desempenho ambiental de processos e produtos de base mineral

A segunda área de atuação do Instituto visa à agregação de valor e de desempenho ambiental a processos e a produtos de base mineral. Nesse contexto, os processos de produção mineral passam a contemplar a utilização sustentável de todos os recursos naturais envolvidos (e.g. água, energia e bens minerais), explorando a sinergia com outras cadeias produtivas locais e atuando de forma proativa para o desenvolvimento das comunidades. Os processos são “redesenhados” para minimizar a geração de emissões, para transformar rejeitos em produtos e para agregar aos produtos maior valor.

Instituições e temas estudados

O INCT-Acqua reúne pesquisadores de 19 Instituições do Brasil e do exterior, os quais, com a colaboração de parceiros dos setores públicos e privados, desenvolvem estudos nos temas:

  • Avaliação da qualidade da água/ambiental e da biodiversidade aquática visando a proposição de estratégias para a recuperação e a conservação ambiental das regiões mineradoras.
  • Modelagem e simulação de processos hidrometalúrgicos.
  • Desenvolvimento e aplicação de materiais sintéticos e naturais para a fixação, separação, imobilização e encapsulamento de espécies químicas.
  • Recuperação ambiental de regiões mineradoras; recuperação de metais de efluentes aquosos e resíduos sólidos.
  • Oxidação aquosa de sulfetos metálicos aplicada à extração de metais e controle de drenagem ácida de minas.